Como o compliance ajuda na performance empresarial

Como o compliance ajuda na performance empresarial

Compliance é um termo que bastante discutido nos últimos anos em gestão empresarial. Antes de detalhar mais sobre o assunto, precisamos explicar seu significado. Compliance vem do inglês “comply”, cuja tradução é “cumprir”. Ou seja, é um conjunto de práticas que cumprem uma norma ou instrução interna. Embora a palavra pareça atual, o conceito surgiu na Conferência de Haia, em 1930. Desde então passou a ser usado por organizações para a adoção de uma cultura empresarial de conduta ética e integridade.

Há 90 anos, os bancos criaram a organização Bank for International Settlements (BIS), em Haia, para conduzir a cooperação entre eles. Esse acordo foi o embrião dos programas de compliance atuais. Hoje algumas companhias internacionais e brasileiras, principalmente aquelas que respondem ao controle de órgãos reguladores ou são exportadoras, já aplicam esse conjunto de disciplinas. Entre elas estão instituições bancárias, empresas de telecomunicações, energia, transportes, ramo farmacêutico e de alimentos. 

Porém, no Brasil, os programas de compliance ganharam força após a vigoração da Lei Anticorrupção ou Lei da Empresa Limpa (lei 12.846), de 2013. Ela intensificou a necessidade de as organizações implementarem a prática. Afinal, a legislação trata da responsabilidade civil e administrativa das organizações que atuam no Brasil com relação a fraudes na administração pública. A partir daí as empresas começaram a perceber a importância de uma conduta ética que evite escândalos de corrupção como os registrados nos últimos anos. 

10 dicas jurídicas para quem quer abrir uma startup

Como é a implementação de um programa de compliance empresarial

Implementar um programa de compliance inclui algumas etapas. O mais importante é que toda a organização esteja consciente e engajada em participar do projeto, independente de hierarquia ou setor.

As etapas são:

  • gestão de riscos
  • códigos de conduta
  • políticas da organização
  • auditoria interna
  • capacitação e sensibilização
  • canais de denúncia
  • investigações internas
  • diligência ou due diligence

O último termo se refere à análise estruturada, metódica e isenta de como a empresa está se comportando com relação ao cumprimento da legislação, às normas e políticas internas. É a compreensão dos riscos e oportunidades envolvidas no negócio. 

Além de combater a corrupção, o programa de compliance resulta em outros benefícios. Entre eles, a proteção da reputação da empresa, promoção da confiança entre colaboradores e administração, prevenção do engano de clientes, melhora processos internos, identificação de casos de abuso internos entre administradores e empregados. Além de ajudar a melhorar os produtos e serviços.

Por isso, quando devidamente executado, o programa de compliance é capaz de promover mudanças e garantir inúmeras vantagens à organização. Os colaboradores se sentirão mais motivados a trabalhar em uma empresa com princípios éticos bem estabelecidos. Além disso, os clientes terão mais confiança ao contratar serviços ou comprar produtos.

A boa imagem da organização será construída com a reputação e credibilidade. Por isso, implementar as práticas pode ajudar inclusive no bom posicionamento da empresa no mercado de atuação. É importante considerar a aplicação do programa como uma forma de prevenir riscos e melhorar a gestão empresarial. 

Escrito por

GEP | Soluções em Compliance

Sistema integrado de Governança


• Segurança e Gestão da Informação ( LGPD)
• Governança Corporativa
• Conformidade e Integridade Empresarial